Sábado, 6 de Dezembro de 2008

A Árvore de Jessé e o Culto à Imaculada Conceição

No ofício de Nossa Senhora lia-se a genealogia do Evangelho de São Mateus (1, 1-17). Tal como S. Lucas (3, 23-28), ele coloca São José, esposo de Maria, como descendente dos reis de Judá, através de David, cujo pai era Jessé. Isaías (11, 1) tinha profetizado que do tronco de Jessé haveria de nascer uma vara, uma flor brotaria desta raiz.

 

As representações artísticas desta árvore, que surgem pelos séculos XI-XII, tinham, inicialmente, Cristo no cimo. Porém, a partir do século XIII, a Virgem com o Menino nos braços dominou. Trata-se de uma parentela espiritual da árvore da vida. A árvore de Jessé ilustra a passagem da geração carnal (Jessé) à geração espiritual (Virgem e Cristo).

 

Maria surge como última representante da antiga aliança, a que precede o cume da salvação, Jesus Cristo. Para Cristo aparecer, alguém devia dar-lhe entrada no mundo. Deus Pai, ao confiar a Jesus uma missão, também entrega a Maria um papel nos seus planos. Se de uma ascendência, com carga de pecado e crime, floresce uma virgem sem mancha, não pode ser senão devido à vontade soberana, livre e eterna de Deus. A árvore tem, ao longo dos ramos, personagens manchados pela idolatria e perjúrio. Se no cimo aparece uma Imaculada, é, portanto, dom gratuito do amor de Deus. Há uma ascendência que sublinha o contraste entre a flor e a árvore.

 

Uma prova de que foi o culto da Imaculada a impulsionar esta devoção e permanência, é a confraria de Nossa Senhora da Conceição, da Igreja de São Francisco do Porto, que levantou a mais formosa e monumental das árvores de Jessé, uma obra do primeiro quartel do século XVII, dos artistas Filipe da Silva e António Gomes. (AZEREDO, Carlos A. Moreira - Vigor da Imaculada. Visões de Arte e Piedade. Porto: Paróquia Senhora da Conceição, 1998)

 

Um estudo de Flávio Gonçalves sobre a árvore de Jessé dá-nos a evolução do tema e a influência do culto da Imaculada nalgumas das obras. O referido artigo, intitulado "A árvore de Jessé na arte portuguesa", pode ser consultado em http://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/2047.pdf.

publicado por ssacramento às 09:22
link do post | comentar | favorito
|

.Blogue da Paróquia do Santíssimo Sacramento

Visite Pão e Vida

Visite Casa-Acolhimento Santa Marta

.Fuego Santo

.subscrever feeds

.pesquisar

 

.Visite

.posts recentes

. Maria...

. Mãe admirável

. Apóstolos S. Pedro e S. ...

. A boca do justo proclama ...

. Um "novo humanismo"

. Isabel e Maria

. Solenidade de S. João Bat...

. Eu vos dou graças, Senhor...

. Não perca hoje na nossa p...

. Os pais de Maria

. Não podemos aceitar que o...

. Morte e Vida: Perspetiva ...

. Jesus fala aos meninos da...

. A Igreja Católica e o Ano...

. Educação Moral e Religios...

. Morte e Vida: Perspetiva ...

.arquivos

. Dezembro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

.Dezembro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
Counters
Free Counter
blogs SAPO