Domingo, 6 de Maio de 2007

Maria, modelo e mãe


Maria é o "modelo para o qual podemos e devemos olhar para aprender a viver e a ser santos. Ela é a Mãe que nos guia, que encaminha nossos passos, que nos ajuda a formar por dentro, que nos coloca no caminho evangélico. Mãe que nos exorta, que nos anima, que nos alimenta, que nos protege, que nos ampara, nos guarda. Mãe que nos ensina, com pedagogia maternal, a dizer "sim" a Deus, como Ela, a fazer a vontade do Pai, a assumir a cruz de cada dia, a ser, como Ela oferta viva com Jesus. Mãe que nos quer parecidos com Ela, como seria Jesus, e nos ensina, com o seu modo de rezar, os caminhos da nossa oração e da nossa vida interior. Mãe que nos segreda ao coração os caminhos da verdadeira caridade, como Ela a viveu, dum modo exímio e singular. Mãe que nos ensina a viver unidos a Jesus Crucificado, a oferecer a nossa vida e o nosso sofrimento para que o mundo tenha vida, como Ela o fez junto à Cruz. (...) Mãe que nos ensinará, com carinho e delicadeza, a trilhar os caminhos da santidade e da vida interior mais sublime. Mãe que nos colocará com Jesus, unidos a Ele, vivendo com Ele e como Ele, como baptizados apaixonados pelo Mestre. (...)

Maria, modelo e Mãe da Igreja e de cada cristão e cristã, é modelo de todas as vocações: (...) da vocação de leiga entregue a Deus, na total generosidade e radicalidade, como mãe e esposa, como dona de casa, como a Senhora da vida doméstica; (...) da vocação contemplativa, pois (...) ponderava em seu Coração, escutava a Palavra no silêncio interior do seu ser, buscava a comunhão e a intimidade com o seu Deus. (...)
Como Modelo e como Mãe, Maria nos ajudará a encontrar caminhos de verdadeira renovação pessoal e comunitária, familiar e eclesial. Com Ela rezemos, esperando o Pentecostes (...), suplicando uma nova efusão do Espírito Santo, que descendo em línguas de fogo fez nascer a Igreja, renovou os apóstolos e os discípulos de Jesus e faz novas todas as coisas." (Artigo de Dário Pedroso, in Revista Mensageiro do Coração de Jesus, Maio/2007)



Neste Dia da Mãe um  bem-haja a todas as mães:

"Obrigado(a) por nos ter acolhido no seu ventre e aceite como um dom, um presente, de vida e para a vida;

Obrigado(a) por ter passado tantos dias e noites ocupada connosco. Em bebés, jovens e mesmo já adultos;

Obrigado(a) por tantas e tantas renúncias que fez e faz cada mãe para que nada nos falte, mesmo com imenso sacrifício pessoal;

Obrigado(a) por toda a vida, atenção, escuta e entrega, minuto a minuto, hora a hora ou dia a dia, sem olhar aos nossos defeitos ou imperfeições;

Obrigado(a) por tudo e por sempre cada mãe, ainda viva ou já do outro lado da vida, dá e continuará a dar a cada filho." (Associação Famílias)



Como apareceu o Dia da Mãe?


"As mais antigas celebrações do Dia da Mãe remontam às comemorações primaveris da Grécia Antiga, em honra de Rhea, mulher de Cronos e Mãe dos Deuses. Em Roma, as festas comemorativas do Dia da Mãe eram dedicadas a Cybele, a Mãe dos Deuses romanos, e as cerimónias em sua homenagem começaram por volta de 250 a.C.

Durante o século XVII, a Inglaterra celebrava no 4º Domingo de Quaresma (40 dias antes da Páscoa) um dia chamado “Domingo da Mãe”, que pretendia homenagear todas as mães inglesas. No Domingo da Mãe, os servos tinham um dia de folga e eram encorajados a regressar a casa e passar esse dia com a sua mãe.

Nos Estados Unidos, a comemoração de um dia dedicado às mães foi sugerida pela primeira vez em 1872 por Julia Ward Howe e algumas apoiantes, que se uniram contra a crueldade da guerra e lutavam, principalmente, por um dia dedicado à paz.

A maioria das fontes é unânime acerca da ideia da criação de um Dia da Mãe. A ideia partiu de Anna Jarvis, que em 1904, quando a sua mãe morreu, chamou a atenção na igreja de Grafton para um dia especialmente dedicado a todas as mães. Três anos depois, a 10 de Maio de 1907, foi celebrado o primeiro Dia da Mãe, na igreja de Grafton, reunindo praticamente família e amigos. Nessa ocasião, a sra. Jarvis enviou para a igreja 500 cravos brancos, que deviam ser usados por todos, e que simbolizavam as virtudes da maternidade. Ao longo dos anos enviou mais de 10.000 cravos para a igreja de Grafton – encarnados para as mães ainda vivas e brancos para as já desaparecidas – e que são hoje considerados mundialmente com símbolos de pureza, força e resistência das mães.

Segundo Anna Jarvis seria objectivo deste dia tomarmos novas medidas para um pensamento mais activo sobre as nossas mães. Através de palavras, presentes, actos de afecto e de todas as maneiras possíveis deveríamos proporcionar-lhe prazer e trazer felicidade ao seu coração todos os dias, mantendo sempre na lembrança o Dia da Mãe.

Face à aceitação geral, a sra. Jarvis e os seus apoiantes começaram a escrever a pessoas influentes, como ministros, homens de negócios e políticos com o intuito de estabelecer um Dia da Mãe a nível nacional, o que daria às mães o justo estatuto de suporte da família e da nação.

A campanha foi de tal forma bem sucedida que em 1911 era celebrado em praticamente todos os estados. Em 1914, o Presidente Woodrow Wilson declarou oficialmente e a nível nacional o 2º Domingo de Maio como o Dia da Mãe.

Em Portugal, até há alguns anos atrás, o dia da mãe era comemorado a 8 de Dezembro, mas actualmente o Dia da Mãe é no 1º Domingo de Maio, em homenagem a Maria, Mãe de Cristo." (http://www.minerva.uevora.pt/pre1ciclo/mae/hist_sapo.htm)





publicado por ssacramento às 15:30
link do post | comentar | favorito
|

.Blogue da Paróquia do Santíssimo Sacramento

Visite Pão e Vida

Visite Casa-Acolhimento Santa Marta

.Fuego Santo

.subscrever feeds

.pesquisar

 

.Visite

.posts recentes

. Maria...

. Mãe admirável

. Apóstolos S. Pedro e S. ...

. A boca do justo proclama ...

. Um "novo humanismo"

. Isabel e Maria

. Solenidade de S. João Bat...

. Eu vos dou graças, Senhor...

. Não perca hoje na nossa p...

. Os pais de Maria

. Não podemos aceitar que o...

. Morte e Vida: Perspetiva ...

. Jesus fala aos meninos da...

. A Igreja Católica e o Ano...

. Educação Moral e Religios...

. Morte e Vida: Perspetiva ...

.arquivos

. Dezembro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

.Dezembro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
Counters
Free Counter
blogs SAPO