Sexta-feira, 28 de Setembro de 2007

Quem são os gentios?

Segundo a Bíblia, para os hebreus, quando chegaram a Canaã, gentios eram os que seguiam o deus Baal e os outros baals menores, protectores das forças da natureza.
Para São Lucas, os gentios são os excluídos da comunidade judaica, mas não da misericórdia de Deus.
Gentio era o etíope eunuco a quem Filipe anunciou Jesus, pois, "na verdade, Deus não faz acepção de pessoas", esclarece São Pedro a propósito da conversão do gentio Cornélio (Act 10,34). Gentios eram ainda, a partir de certa altura, os primeiros destinatários da pregação de São Paulo, por isso, também chamado o "Apóstolo dos Gentios". Porque "Deus quer que todos os homens sejam salvos e cheguem ao conhecimento da verdade" (1 Tm 2,2).
Durante muito tempo, a palavra gentio era impropriamente traduzida por infiel (contrário à fé) e por pagão (de pagani, dos campos, e não da cidade), equivalendo a ignorante, atrasado, religiosamente seguidor do culto dos mitos da natureza.
As grandes missões da Igreja entre os séculos XV e XIX destinavam-se a penetrar nestes ambientes gentílicos ou pagãos para lhes levar, ao mesmo tempo, a fé e o império, a palavra de Deus e a cultura. De facto, no mesmo baú, seguiam a Bíblia e a espada, a cruz e os canhões.
E actualmente, quem são os "gentios" que é necessário evangelizar? "Gentio" tanto é o autóctone da Polinésia, de religião animista, como a maior parte dos cristãos de Portugal e tanto se faz missão levando o Evangelho aos índios da Amazónia selvagem, como catequizando a ex-cristianíssima Europa. Quer dizer, o anúncio do Evangelho é tão necessário para os que nunca o conheceram como para aqueles que já o perderam. Os "gentios" tanto estão lá longe, onde o padre só chega uma vez por mês, como naquela igreja de Lisboa que tem várias missas todos os dias.
Nos templos cristãos nunca houve um pátio dos gentios, como nos templos judaicos, a limitar o acesso ao interior do santuário. Na Igreja, o limite de entrada é marcado pela fé em Cristo e a adesão formal ou implícita ao reino de Deus.

(artigo de Manuel Rito Dias - Dili -, na Revista Bíblica, nº 311)
publicado por ssacramento às 10:41
link do post | comentar | favorito
|

.Blogue da Paróquia do Santíssimo Sacramento

Visite Pão e Vida

Visite Casa-Acolhimento Santa Marta

.Fuego Santo

.subscrever feeds

.pesquisar

 

.Visite

.posts recentes

. Maria...

. Mãe admirável

. Apóstolos S. Pedro e S. ...

. A boca do justo proclama ...

. Um "novo humanismo"

. Isabel e Maria

. Solenidade de S. João Bat...

. Eu vos dou graças, Senhor...

. Não perca hoje na nossa p...

. Os pais de Maria

. Não podemos aceitar que o...

. Morte e Vida: Perspetiva ...

. Jesus fala aos meninos da...

. A Igreja Católica e o Ano...

. Educação Moral e Religios...

. Morte e Vida: Perspetiva ...

.arquivos

. Dezembro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

.Dezembro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
Counters
Free Counter
blogs SAPO