Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Blogue da Paróquia do Santíssimo Sacramento

Blogue da Paróquia do Santíssimo Sacramento

A importância de ter avós em S. Mateus (IV): Tamar

26.09.08 | ssacramento

A primeira antepassada de Jesus que Mateus menciona é, pois, Tamar (Génesis 38). Casou-se, muito jovem, com Her e enviuvou, pouco depois, sem ter filhos. Segundo uma lei daquele tempo (levirato), o cunhado devia ter relações com ela, para que tivesse um filho, que seria do seu defunto esposo. Assim, este não ficaria sem descendência, já que não podia haver pior desgraça para alguém do que morrer sem filhos. Onã, o seu cunhado, casou-se com Tamar, mas só convivia com ela, evitando os filhos. Também ele morreu e Tamar, duas vezes viúva, continuou sem filhos.

 

Judá, seu sogro, receando que ela fosse uma mulher fatídica, negou-lhe o seu terceiro filho como esposo. Então Tamar planeou um estratagema. Um dia, disfarçada de prostituta, sentou-se numa encruzilhada de caminhos, precisamente quando o sogro ia a passar. Este, não a tendo reconhecido, prometeu-lhe um cabrito em troca dos seus favores e, como garantia, deixou-lhe o cajado, o cinturão e o anel de selo. Quando, mais tarde, lhe mandou o cabrito para pagamento, ela já lá não estava.

 

Tamar ficou grávida desta união. Quando Judá soube que a nora estava à espera de um filho, enfureceu-se e, envergonhado, exclamou: "Trazei-ma e que seja queimada viva". Tamar, então, pôs em prática a segunda parte do seu plano. Enviou uma mensagem ao sogro: "Estou grávida do homem a quem pertencem este cajado, cinturão e este anel de selo".

 

Assim, Tamar, conseguiu um filho e salvou a vida. Mulher perversa ou astuta? O certo é que Mateus inseriu o escandaloso nome de Tamar entre os antepassados de Jesus.

 

 

(VALDÉS, Ariel Álvarez - Que sabemos da Bíblia? III. Apelação: Paulus, 1998; Imagem disponível em http://www.residenzgalerie.at/en/WE376_2.jpg)