Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blogue da Paróquia do Santíssimo Sacramento

Blogue da Paróquia do Santíssimo Sacramento

A Bíblia (III): língua original

01.07.07 | ssacramento
Os originais dos livros bíblicos foram escritos em três línguas diferentes: hebraico, aramaico e grego. O Antigo Testamento, na sua maior parte, foi escrito em hebraico, alguns livros em grego e trechos de Daniel e Esdras em aramaico. O Novo Testamento foi todo escrito em grego.

Essas línguas são muito diferentes da nossa, no modo de escrever e de se ler (o hebraico e aramaico escrevem-se e lêem-se da direita para a esquerda), mas também revelam uma maneira de imaginar e pensar diferentes da nossa. No Salmo 7,10 lemos "...tu sondas os corações e os rins, ó Deus justo!". Se não soubéssemos que o original foi escrito em hebraico não perceberíamos por que Deus sonda o nosso coração e os rins. Para os judeus o coração é a sede do pensamento e os rins a sede dos instintos mais profundos. Quantas expressões portuguesas não seriam entendidas se um estrangeiro as tomasse à letra!

Já agora: se um católico descobrisse em casa uma Bíblia publicada pelos protestantes, veria muitas diferenças? Como é que pode haver duas Bíblias diferentes? A Palavra de Deus não é uma só?

Na Bíblia protestante faltam alguns livros do Antigo Testamento que existem na versão católica: Baruc, Tobias, Judite, Sabedoria, Eclesiástico, os dois livros dos Macabeus, parte do livro de Ester e alguns dos trechos de Daniel. São os livros deuterocanónicos. A Igreja Católica aceitou-os como sendo inspirados, como sendo Palavra de Deus.

Incialmente, o Antigo Testamento só existia em hebraico. Quando se deu a diáspora dos judeus, quando estes se espalharam pelo mundo, sentiram necessidade de o traduzir para a língua mais universal da época: o grego. No Antigo Testamento traduzido foram colocados alguns livros (os anteriormente citados) que não estavam na Bíblia hebraica e eram mais recentes. Os protestantes consideram como Palavra de Deus só os livros do Antigo Testamento que fazem parte da Bíblia hebraica, enquanto a Bíblia católica considera também alguns dos que foram acrescentados na tradução grega feita pelos judeus.

Esta é a diferença entre a Bíblia católica e protestante; o Novo Testamento é igual. Há outras diferenças de detalhe entre as diversas Bíblias, não só entre a Bíblia católica e a protestante, mas também entre as Bíblias católicas, que são derivadas das traduções.

(Curso de Iniciação à Catequese, Secretariado Diocesano da Educação Cristã da Infância e Adolescência do Porto)

Pág. 4/4