Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blogue da Paróquia do Santíssimo Sacramento

Blogue da Paróquia do Santíssimo Sacramento

Ide em paz

21.10.07 | ssacramento
Neste Dia Mundial das Missões,  escolhemos para reflexão algumas palavras da missa que nos remetem para o envio missionário.


A missa acabou - Ide em paz

O ritual do envio é composto por três elementos: a saudação, uma benção (que pode ser desenvolvida) e o envio propriamente dito. A sua brevidade é significativa: não nos reunimos para nos instalarmos confortavelmente entre nós, mas para nos dispersarmos de novo.

Uma missão espera todos os cristãos: continuar na sua vida diária aquilo que celebraram na liturgia.

Os cristãos vivem dispersos. Eis que se reunem, que se separam do mundo, mas para serem de novo enviados em missão. "Ide na paz de Cristo", ou seja, ide, ensinai, testemunhai... arriscai tudo por tudo. "Vós não sois deste mundo, mas mando-vos ao mundo".

"Ite, missa est" (Ide, a missa acabou), diz o sacerdote em latim (e daí que, no Ocidente, o termo missa suplantasse o grego Eucaristia).

Ide, sois enviados em missão. Começa a vossa tarefa no mundo: ide levar a todos os homens o que recebestes do Senhor.

Todos respondem: Demos graças a Deus!, ou seja, estamos conscientes das graças que recebemos e da tarefa que nos foi confiada. Desejamos viver a nossa vida como um permanente agradecimento a Deus pelo seu amor e pela sua ternura.

Não se trata de um fim, mas de um começo. A missa continua em nossa casa, no nosso local de trabalho, na sociedade, entre os pobres. A missa dominical é a fonte de força, onde o cristão renova os seus laços com a comunidade dos que crêem em Cristo e o seu empenho em ser missionário do Reino de Deus no mundo."



(LAURITA, Roberto - Palavras, lugares e gestos da fé. Prior Velho: Paulinas, 2003. Imagem retirada de http://picasaweb.google.com/reflejosdeluz/MISIONEROS/photo#5055098556163175538)

Como sabes?

20.10.07 | ssacramento
"Que sabemos nós do mistério que nos envolve? Onde estão as palavras, sólidas como colunas, para explicarmos a nós próprios e aos outros os fracassos e as perdas que vamos experimentando na vida? A verdadeira sabedoria, a do Espírito de Deus no coração dos homens, consiste na leitura serena, confiante e edificante daquilo que, aparentemente, é derrota e destruição.

Nesta manhã, peço um olhar positivo para tudo o que de negativo nos desafia.

A este propósito penso muitas vezes numa história do Médio Oriente:

Mikael, um camponês, perde o único jumento que possui.
- Perdeste o teu único bem; oh! como és infeliz - dizem-lhe os vizinhos.
Na manhã seguinte, o jumento volta com três garanhões...
- Que felicidade para ti, Mikael!
- Como sabeis - pergunta ele aos vizinhos - que se trata de felicidade?
No dia seguinte, tentando arrear um dos cavalos, um dos filhos de Mikael parte uma perna.
- Que infelicidade! - dizem-lhe.
E ele:
- Como sabeis...?
Dois dias mais tarde é declarada uma guerra.
O filho de Mikael não vai participar nos combates previsivelmente mortais...

Que sabemos nós do mistério que nos envolve?

Um olhar positivo. Olhai as aves do céu... O Pai Celeste alimenta-as."


(MANUEL, Henrique - Mas há sinais.... Prior Velho: Paulinas, 2004)

Quem é Jesus para ti?

19.10.07 | ssacramento
Entre Maio e Agosto deste ano, a revista Audácia promoveu um concurso sobre "Que tens a dizer de Jesus". Na sua publicação deste mês, a referida revista regista algumas das respostas recebidas de crianças e jovens à pergunta colocada.

"Jesus Cristo para mim é um milagre, porque um dia, quando eu ia para a catequese, estive quase a ser atropelado por um carro, numa passadeira, e não fui atropelado. Pouco faltou. Eu acho que Jesus estava comigo nesse momento. (José Pontes – 5.º 3)

Jesus Cristo é uma Pessoa que eu descrevo com uma só palavra: maravilhoso (...) que nos ajuda nos bons e maus momentos. Quando pecamos, Ele é sempre a primeira pessoa a acolher-nos e a ajudar-nos. É a Pessoa que nos dá a vida e nos mostra o quão maravilhosa é a vida. Por isso, temos de aproveitar bem a vida e viver cada dia como se fosse o último. Para mim Jesus Cristo não é só uma história que se ouviu há algum tempo, mas sim a Pessoa na qual eu deposito a minha fé e em quem eu confio como se fosse a minha mãe ou o meu pai. Jesus Cristo é a Pessoa que sofreu e perdoou ao mesmo tempo. Ele perdoa-nos os pecados e nós como forma de agradecimento temos de manter acesa a nossa fé e pôr em prática a sua lei, a lei do amor. (Bárbara Duarte – 7.º 3)

Para mim Jesus Cristo é alguém que nos ajuda a manter a paz interior e exterior. (Laura – 7.º 3)

Jesus Cristo está Vivo. Cristo é filho de Deus. Cristo é Deus. Cristo é Homem. Assim, Cristo é alguém que não é visível, mas é sentido. Todo o ser humano deveria ser “a imagem e semelhança de Cristo”. (...)
Acredito, plenamente, que Cristo está entre nós. (Ana Rosa – 7.º 3)" (http://www.audacia.org)

E para mim, quem é Jesus Cristo?

S. Lucas Evangelista

18.10.07 | ssacramento
"Discípulo e amigo de S. Paulo, Lucas, "o amigo muito querido" (Col 4,14), foi o único evangelista não judeu. Natural de Antioquia, a sua língua materna era o grego. (...) Pelo ano 50 aparece ao lado de S. Paulo, estando com ele, não só na Macedónia, mas também em Roma no tempo em que aí esteve preso, "o único que me não abandonou", diz o apóstolo. A tradição aponta-o como autor de um retrato de Nossa Senhora, saído do seu pincel de artista. Lucas é o evangelista da infância de Jesus e do coração misericordioso de Cristo. Só ele registou as parábolas do filho pródigo, da ovelha perdida, do publicano e a do pobre Lázaro e do mau rico, assim como a oração do Crucificado pelos seus algozes e a promessa do paraíso ao bom ladrão.

Além do 3º evangelho, S. Lucas escreveu também os Actos dos Apóstolos, relato das actividades da Igreja nos primeiros tempos."


(DIAS, António J. - Arautos da Santidade. Vida dos Santos. Lisboa: Rei dos Livros, 2001)


Para encontrar mais informações sobre S. Lucas, patrono dos médicos, pode consultar este artigo dos Frades Menores Capuchinos, que se encontra aqui.

Missão Universal da Igreja

17.10.07 | ssacramento

O mês de Outubro é o mês, por excelência, dedicado à Missão Universal da Igreja e o próximo domingo é o Dia Mundial das Missões.


"Todas as Igrejas para o mundo inteiro", é este o tema escolhido para o próximo Dia Missionário Mundial. Ele [Cristo] convida as Igrejas locais de cada Continente a uma partilha da consciência sobre a urgente necessidade de relançar a acção missionária perante os numerosos e graves desafios do nosso tempo.


Certamente são diferentes as condições em que vive a humanidade, e nestes decénios foi realizado um grande esforço para a difusão do Evangelho, especialmente a partir do Concílio Vaticano II. Contudo, há ainda muito a fazer para responder ao apelo missionário que o Senhor nunca se cansa de dirigir a cada baptizado. (...)


Que a Virgem Maria, que acompanhou com solicitude materna o caminho da Igreja nascente, guie os nossos passos também nesta nossa época e nos obtenha um novo Pentecostes de amor. Em particular, que Ela, nos torne conscientes de que todos somos missionários, isto é, enviados pelo Senhor a ser suas testemunhas em todos os momentos da nossa existência." (Excerto da mensagem do Papa Bento XVI para o Dia Mundial das Missões de 2007).


 

Para ajudar a dinamizar este mês de Outubro, aqui pode encontrar algumas sugestões de momentos de oração, meditações e celebrações.


Para reflectir neste Dia Mundial da Alimentação

16.10.07 | ssacramento
Hoje comemora-se o Dia Mundial da Alimentação e o lema escolhido para este ano é "O direito à alimentação". O direito à alimentação é o direito inalienável de todo o ser humano poder aceder, regularmente, a uma quantidade suficiente de alimentos, adequados do ponto de vista nutricional e culturalmente aceitáveis para o desenvolvimento de uma vida saudável e activa. Mais que o direito a ser alimentado, é o direito a poder alimentar-se a si mesmo de forma digna e autónoma. (FAO)

Convém lembrar que, segundo um estudo do Banco Mundial, de Abril, nos últimos 13 anos houve uma diminuição de 21% dos casos de pobreza extrema, mas, mesmo assim, ainda existem 985 milhões de pessoas que vivem com menos de 0,80 €/dia, e mais de 2,5 mil milhões de pessoas vivem com menos de 1,6 €/dia. 41% de situações de pobreza extrema situam-se na África Subsariana; na América Latina são 8,6% e na Ásia 9%. A melhoria de condições na China foi o maior contributo para a redução do número de pobres no mundo. Porém, as desigualdades sociais também estão a aumentar, mesmo quando a pobreza se reduz: a Namíbia é o país mais desigual do mundo e... Portugal o mais desigual da União Europeia. (Dados publicados pela Revista Fátima Missionária)

Como cristãos não podemos ficar indiferentes a estes números.

Recomeçar

15.10.07 | ssacramento
"Recomeçar em cada fracasso, em cada adeus, em cada morte. Recomeçar como quem levanta de novo as cartas de um baralho, com toda a força dos nervos, da vontade e dos músculos.

Subir ao terraço da alma, olhar o infinito como promessa, recomeçar solto de amarras e utopias, livre, com fé e certeza antecipada. Recomeçar, por respeito connosco próprios!

É preciso esperar o amadurecer do fruto, beber noites para tocar auroras, com uma prece nos lábios. Noites longas, tantas!... Mas recomeçar.

De múltiplas mortes as flores constroem a existência para se oferecerem a quem as visita.

E esperar, como quem recomeça já. Se preciso for, de joelhos, no íntimo; mas sempre de pé, na praça pública; alheio a fugas e alienações, com a solidão e o fracasso aos ombros. Purificamo-nos na espera, como se recomeçássemos já, cingidos de sonho e de coragem. Esperar até ao último instante que a espera consente.


(MANUEL, Henrique - Mas há sinais.... Prior Velho: Paulinas, 2004)

Alguns termos da missa

14.10.07 | ssacramento
Na celebração da Eucaristia, tal como no nosso dia-a-dia, há palavras simples que usamos, mas que têm um grande significado. Mais uma vez, escolhemos o livro de Roberto Laurita, Palavras, Lugares e Gestos da Fé (Paulinas, 2003), para nos ajudar a reflectir e compreender a liturgia, nela concentrando todos os nossos pensamentos e espírito.

"Palavra do Senhor - Demos graças a Deus

Muitas liturgias dão a ideia de um rosário de palavras desfiadas automaticamente umas atrás das outras, correndo o risco de tornar a celebração num simples discurso catequístico ou moralista. Ora, embora a liturgia da Palavra comporte elementos de catequese, de ética e de doutrina, não são eles que constituem a essência da celebração.

A liturgia da Palavra não é também uma simples informação, embora actualmente para a massa dos fiéis, muitos textos sejam objecto de uma redescoberta. Vejamos um exemplo. Quando ouvimos o Evangelho do nascimento ou da ressurreição de Jesus, isso não representa para nós uma informação: conhecemos esses textos praticamente de cor! Do ponto de vista da informação está longe de ser uma notícia de primeira página... Há vinte séculos que esses textos são proclamados, ano após ano.

O Amo-te dos apaixonados, dito, redito, repetido mil vezes, faz crescer o amor e aumenta o compromisso recíproco. Não é uma informação, é uma afirmação capaz de agir, de transformar, e que é eficaz porque, de cada vez que é dita, cria algo de novo.

O Amo-te de Deus exprime-se na multiplicidade dos textos da Escritura. Desse modo se renova a aliança entre Deus e os homens, na troca de uma palavra dada e recebida.

Palavra do Senhor, diz o leitor ao terminar a sua proclamação. Não se trata apenas de textos antigos e veneráveis, dignos da nossa atenção. Trata-se da própria Palavra de Deus, uma Palavra ouvida há muito tempo, mas que permanece viva e actual, e hoje se dirige a nós, a cada um de nós. Demos graças a Deus, responde a assembleia, manifestando a sua gratidão a Deus, que falou e continua a falar ao coração de cada um."


(Imagem retirada de http://picasaweb.google.com/reflejosdeluz/ORACION/photo#5055105883377386434)

90 anos...

13.10.07 | ssacramento
13 de Outubro de 1917; 70.000 pessoas presentes e todos olham o sol directamente, que, como uma roda de fogo, gira sobre si próprio. É o Milagre do Sol. Três anos depois, celebra-se a primeira missa na Cova da Iria.

1967. São já 50 os anos que passaram após a primeira aparição de Nossa Senhora e o Papa Paulo VI desloca-se à Cova da Iria. Com o Papa João Paulo II, são 3 as vezes que se desloca a este santuário mariano: 1982, agradece ter escapado com vida do atentado que sofrera um ano antes; 1992, é a segunda visita do Papa; 2000, celebra a beatificação dos pastorinhos Francisco e Jacinta Marto, um processo de beatificação que começara em 1952.

2007. Passaram 90 anos. Surge uma nova basílica. É inaugurada a Igreja da Santíssima Trindade.




São muitas as datas importantes na história de Fátima. Neste dia, deixamos aqui alguns artigos interessantes sobre a referida igreja e a comemoração dos 90 anos das aparições:

Dossier sobre a Igreja da Santíssima Trindade

Homilia do Cardeal Tarciso Bertone, em Fátima, no dia 13 de Outubro de 2007

Exposições temporárias, em Fátima, comemorativas dos 90 anos das aparições

"Por Maria à Trindade" - Folha Pão e Vida, nº 429


Oração do silêncio

12.10.07 | ssacramento
Senhor, meu Pai,
neste momento especial de mais profunda calma,
quero abrir-te a minha alma.
Sinto-me grato e feliz pelo bem que este momento de silêncio me faz.
Senhor, meu Pai,
nem sempre soube valorizar a graça da tua pacificadora companhia.
Sem necessidade me entreguei à agitação barulhenta e febril
que me distanciou de mim mesmo e de ti.
Senhor, meu Pai,
recolho-me nas dobras do teu silêncio
para captar melhor a suavidade da tua presença e a energia do teu amor.
O silêncio que me invade plenifica-me por inteiro
e restitui o significado último do meu ser diante de Ti.
Senhor, meu Pai,
fortalece-me sempre com o teu silêncio,
para que construa na paz todo o meu viver.
Amen.


(SCHLESINGER, Hugo; PORTO, Humberto - Dialogando com Deus. São Paulo: Edições Paulinas, 1981)