Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blogue da Paróquia do Santíssimo Sacramento

Blogue da Paróquia do Santíssimo Sacramento

Blogue da Paróquia do Santíssimo Sacramento

Hoje

O Evangelho de hoje como que nos recomenda que retiremos dois dias aos sete de que consta a semana: o ontem e o amanhã. Só nos pertence o hoje, o «aqui e agora». Já não podemos modificar nada no dia que passou.

 

O amanhã, por mais que façamos planos, não temos garantias de o virmos a viver, ou pode suceder que nos traga surpresas imprevistas que reduzam a nada os nossos projectos.

 

No fundo, se retiramos da conta o ontem e o amanhã, resta-nos um único dia: o hoje, no qual podemos andar contentes, manter a calma, fazer o bem e evitar o mal.

 

 

Revista Mensageiro do coração de Jesus - Fev 2011

A escolha dos Doze

Depois do ultimo post "A Cátedra de Pedro" vamos hoje continuar a nossa "viagem" tendo como guia Bento XVI a partir de uma das suas catequeses tendo como tema a "escolha" dos Apóstolos.

"A Igreja foi constituida sobre o fundamento dos Apóstolos como comunidade de fé, de esperança e de caridade. A Igreja começou a construir-se quando alguns pescadores da Galileia encontraram Jesus, deixaram-se conquistar pelo seu olhar, pela sua voz, pelo seu convite caloroso e forte: «Vinde comigo e farei de vós pescadores de homens.»

Depois de Maria,reflexo puro da luz de Cristo, são os Apóstolos, com a sua palavra e com o seu testemunho, que nos ensinam a verdade de Cristo. O número Doze, que evidentemente evoca as doze tribos de Israel, já revela o significado de acção profético-simbólica implícito na iniciativa de fundar novamente o povo santo. Ao escolher os Doze, introduzindo-os numa comunhão de anúncio do Reino em palavras e acções, Jesus pretende dizer que chegou o tempo definitivo no qual se constitui um novo povo de Deus, o povo das doze tribos, que agora se torna um povo universal, a sua Igreja."

 

 

(Bento XVI- Os Doze Apóstolos e os primeiros discípulos de Jesus.Lisboa:PAULUS Editora,2008;imagem disponível em http://pt.wikipedia.org/wiki/Ap%C3%B3stolos

Narrativa do Sim

Foi com grande entusiasmo e expectativa que decorreu a conferência sobre “As Origens” (Génesis – primeiros capítulos), tendo como orador D.António Couto. O salão encontrava-se cheio de pessoas com vontade de aprender.

Este primeiro capítulo do Génesis sobre o qual incidiu esta conferência (1, 1-2, 4a) é a narrativa da bondade, da beleza e do Sim. O Sim de Maria. O Sim de Jesus.

Esta narrativa é escrita durante o Exílio do Povo de Deus na Babilónia. O narrador (séc. V, VI a.C.) é de origem sacerdotal. Considera o 6º dia do Homem e o 7º dia do criador.

Este capítulo do Génesis é no fundo uma provocação. A obra de Deus é boa, no entanto, os Judeus quando vieram da Babilónia encontraram Jerusalém num caos. Houve alguns que até regressaram á Babilónia. Foi preciso trabalhar e transformar a cidade no esplendor de outros tempos.

Na Bíblia o Homem é definido por cima à imagem de Deus. É concebido para dominar. Mas não de uma forma guerreira. Apesar de ter o domínio sobre a terra e os animais deve fazê-lo a partir da sabedoria, da racionalidade. Afinal Aristóteles dizia que o Homem é um animal racional.

Culto e Fraternidade

 

Jesus espera dos seus discípulos uma justiça melhor do que a praticada pelos escribas e fariseus...E qual era, então, o seu defeito?

Era o de se julgarem justos e santos diante de Deus só pelo facto de cumprirem rigorosamente certos preceitos e ritos...

Era a de separar a prática religiosa da prática da justiça e da misericórdia...

Entender que o Cristianismo é a religião do amor fraterno é ter entendido Jesus. E o Evangelho deste domingo é bem elucidativo:"Vai primeiro reconciliar-te com o teu irmão e vem depois apresentar a tua oferta".

Na alternativa entre culto e fraternidade Jesus manda-nos escolher a fraternidade.

O culto e a oferta têm com certeza todo o sentido e valor, mas sempre como expressão e fonte desse Amor a Deus e ao Próximo que Jesus proclama inseparáveis.

 

 

Folha Pão e Vida - Fev 2011

A Cátedra de Pedro

"Escolhido por Cristo como "rocha" sobre a qual edificara a Igreja, Pedro começou o seu ministério em Jerusalém, depois da Ascenção do Senhor e do Pentecostes. A primeira "sede" da Igreja foi o Cenáculo, e provavelmente naquela sala onde também Maria, a Mãe de Jesus, rezou juntamente com os discípulos para que fosse reservado um lugar especial a Simão-Pedro.

Em seguida, a sé de Pedro tornou-se Antioquia, cidade situada à margem do rio Oronte, na Síria, hoje na Turquia, naquela época terceira metrópole do Império Romano, depois de Roma e de Alexandria. Portanto, temos o caminho de Jerusalém, Igreja nascente, em Antioquia, primeiro centro da Igreja acolhida pelos pagãos e ainda unida com a Igreja proveniente dos Judeus. Depois Pedro dirigiu-se para Roma, centro do Império, a terra onde ele terminou com o martírio a sua corrida ao serviço do Evangelho."

 

Com este artigo de título "A Cátedra de Pedro" damos  inicio a alguns posts focando o nascimento da Igreja e o chamamento dos Apóstolos por Jesus, elaborado a partir das catequeses de Bento XVI. É pois uma forma do cristão "viajar" no tempo de forma a compreender melhor a mensagem  do Mestre.

 

(Bento XVI- Os Doze Apóstolos e os primeiros discípulos de Jesus.Lisboa:PAULUS Editora,2008. Imagem disponível em:   http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:S%C3%A3opedro1.jpg)

Para que serve uma luz que já não acende?

O

cristão tem que poder ser reconhecido como tal pelo seu comportamento, sem precisar de um emblema na lapela. Há muitas coisas com que não pode pactuar.

 

Terá sempre que defender a vida desde os seus primórdios. Deve ser activamente solidário com os pobres e necessitados e não se deixar corromper pelo prestígio ou pelo dinheiro.Deve ser capaz de pedir e conceder perdão. Só assim a luz se manterá acesa...

 

 

 

Adaptado de Revista Mensageiro do coração de Jesus - Fev 2011

Sal da terra e luz do mundo

Somos sal da terra. Somos luz do mundo.É Jesus quem o afirma. O sal actua, dissolvendo-se. A luz espalha-se, para fora do foco luminoso.

O cristão será sal e luz, se se esquecer a si mesmo, se se fizer grão de trigo que só dá fruto, morrendo.

Os frutos, o bom sabor, a alegria, são dom garantido d'Aquele que nos oferece a dignidade de sermos instrumentos visíveis e palpáveis da sua actuação criadora e providencial na humanidade.


 

Revista Mensageiro do coração de Jesus - Fev 2011

Parabéns

 

É com imenso orgulho e alegria que este blog vem neste dia dar os parabéns ao Sr. Padre Jorge , pároco da Paróquia do S. Sacramento, por mais um aniversário.

 

 

Ao folhear um livro de orações encontrei uma que vem ao encontro deste momento festivo adaptando-se na perfeição ao que este blog deseja para o seu pároco:

 

" Mantém, Senhor, ainda por muitos anos

bem acesa

a chama do seu viver,

e derrama especialmente nesta data sobre ele

a luz de tua benção."

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2011
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2010
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2009
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2008
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2007
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D