Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blogue da Paróquia do Santíssimo Sacramento

Blogue da Paróquia do Santíssimo Sacramento

Blogue da Paróquia do Santíssimo Sacramento

Vinha "apenas" conversar...

Na sua Mensagem para o momento que os cristãos iniciam, a Quaresma, o Papa Bento XVI, remete-nos para aquilo que considera ser o "cerne da vida cristã: o amor."A frase crucial do Papa é inspirada num texto bíblico tirada da Carta aos Hebreus: "Prestemos atenção uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e às boas obras."Esta frase escrita há 2000 anos atrás é desde logo, profundamente atual. É uma recomendação que poderiamos ler numa qualquer revista de índole cristã ou não, devido ao momento que atravessamos.

 

Andamos tão distraídos que não prestamos a atenção devida ao próximo. A nossa população é maioritariamente idosa. Uns ativos, outros não. Vem isto a propósito de um episódio que vivenciei a semana passada. O meu dia de trabalho estava a chegar ao fim quando ao balcão da farmácia se aproximou um  utente na ordem dos 75 anos. Depois de fazer uma questão sobre a toma de um medicamento e de eu o ter esclarecido disse-me já em jeito de despedida: "Sabe, vou mais satisfeito para casa!" Fiquei intrigado até porque não tinha feito nada de especial. A informação era deveras trivial. Daí a minha pergunta: Porquê Sr. Manuel? "Sabe, soube-me bem conversar este bocadinho, ainda não o tinha feito com ninguém hoje!"

 

Vi o Sr. Manuel afastar-se, sair da Farmácia e tomar a direção de sua casa. Não comprou nada. Vinha "apenas" conversar....

A cinza quaresmal

Os primeiros cristãos, que tinham ofendido gravemente a sua fé e que iriam, no fim da Quaresma, reentrar em plena comunhão com o resto da comunidade, faziam um gesto penitencial relacionado com a cinza: em quinta feira Santa, vestidos com roupas de penitência e com a cabeça coberta de cinza, que eles próprios se impunham, apresentavam-se perante a comunidade, para exprimir,deste modo, a sua conversão. E na Idade Média, os "penitentes" confessavam publicamente os seus pecados, com cinza espalhada sobre as suas roupas.

A partir do séc. X - quando desapareceu a instituição dos "penitentes"- a Igreja viu que este gesto, afinal, se podia aplicar a todos os "penitentes" cristãos; assim se manteve até hoje este rito, para todos os cristãos exprimirem a sua vontade de conversão no inicio da Quaresma e caminharem com espirito de penitência até à Páscoa.

A cinza ajuda-nos, simbolicamente, a entrar numa atitude de reconhecimento da nossa condição humana e, portanto, de conversão a Cristo, numa atitude de "êxodo" do nosso pecado, em ordem a entrar na dinâmica do homem novo da Páscoa.

 

(Alves, Herculano - Gestos e Símbolos Penitenciais. Fátima: Difusora Bíblica, 2007);imagem disponível em:http://www.arquidiocesebh.org.br/site/noticias.php?id_noticia=3262

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2011
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2010
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2009
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2008
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2007
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D