Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Blogue da Paróquia do Santíssimo Sacramento

Blogue da Paróquia do Santíssimo Sacramento

Blogue da Paróquia do Santíssimo Sacramento

O Deus dos pobres

A Bíblia pode ser lida a partir de diversas perspectivas. Uma das formas de ler a Bíblia é partir da teologia da pobreza. A pobreza é uma dura realidade em todas as épocas da História e em todas as culturas.

O povo do Antigo Testamento foi pobre devido à sua situação geográfica e económica. A região da Palestina era semi-desértica e situava-se entre as terras férteis dos rios Tigre e Eufrates e o Egipto. Esta pobreza da terra determinava a pobreza do povo que a habitava.

A situação política também não o favoreceu, já que a sua História é recheada de acontecimentos dolorosos, com os cananeus e com os povos do Norte e do Sul. A Palestina foi lugar de contínua passagem de soldados e guerreiros, que ocupavam o território e provocavam a devastação.

A nível cultural, os hebreus, um povo mais recente que os povos vizinhos (egípcios, babilónios e assírios), copiaram muitos aspectos destas culturas e religiões.

Nas suas leis sociais, a Bíblia manifesta uma preocupação constante pelos pobres (Ex 21,2-3; Lv 25,39; Dt 15,4). Normalmente, aparecem divididos em 4 classes principais a serem protegidas, embora frequentemente discriminadas pelos juízes dos tribunais: pobres, órfãos, viúvas, estrangeiros.

Israel nasceu como um povo pobre, ligado à condição de estrangeiro e de escravo no Egipto, daí esta experiência ter marcado a sua vida histórico-religiosa, mas também a sua visão de Deus. Este povo nasceu pobre, viveu pobre e era um povo pobre, que tem como Deus o Deus dos pobres. Toda a epopeia do Êxodo torna-se um acontecimento exemplar, revelando um Deus que não permite que nenhum homem, mulher ou povo viva na miséria, em condições desumanas, na pobreza ou em qualquer tipo de opressão.

Esta é uma ideia fundamental para entender a Bíblia como livro de revelação de Deus aos que têm coração de pobres, e esta revolução em favor dos povos é permanentemente dinamizada mediante "Moisés", que o Senhor envia em cada época da História.

Quando Samuel chama um filho de Jessé, de Belém, para rei de Israel, todos os filhos mais crescidos são colocados de lado e é escolhido o mais novo, mais débil e pequeno: David (1Sm 16,1-13).

Os pequeninos também aparecem como os amigos de Deus e os que acolhem a Sua Palavra (Lc 10,21), pois eles têm um coração orante.

No Antigo Testamento, a pobreza tem duas vertentes: o pobre e a sua pobreza como estado de degradação humana; a relação pobre-rico, em que este último surge como causador da pobreza, envolvendo um juízo de valor, uma atitude ética relativamente às atitudes injustas dos ricos. O rico torna-se um "ímpio", alguém que põe toda a sua confiança nos bens materiais e no poder; o pobre, como amigo de Deus, põe toda a sua confiança no Senhor, sendo objecto da justiça, do amor de Deus. O pobre torna-se mesmo um sacramento de todo o Israel, pois representa este povo de pobres diante do Deus dos pobres.

Jesus veio para evangelizar e libertar os pobres (Lc 4,18-19), por isso veio humilde e pobre anunciar a Boa-Nova aos que têm um coração como o dele. Para ler a Bíblia como Palavra de Deus, é condição essencial ter um coração pobre, simples e acolhedor, pois a descoberta do sentido da Bíblia é feita pelo Espírito de Jesus, que a revela aos pobres e pequeninos (Lc 10,21). O rico, o que alimenta a sua vida apenas com os bens materiais, não sente necessidade de outro alimento, logo não acolhe a Palavra nem os valores do Evangelho.

(Artigo de Herculano Alves, in Revista Bíblica, Maio-Junho/2007)

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2011
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2010
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2009
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2008
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2007
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D