Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Blogue da Paróquia do Santíssimo Sacramento

Blogue da Paróquia do Santíssimo Sacramento

Viúvas na Bíblia e na Vida

27.06.07 | ssacramento
A Bíblia refere-se às viúvas e à sua situação humana e social de solidão, precaridade e sem futuro. Isaías (47,9) fala da situação da viúva abandonada como símbolo da infidelidade e até da infertilidade, desenvolvendo uma situação de luto sistemático e permanente, por indevida pressão do meio ambiente e devido à cultura sociológica da inferioridade feminina.

A lei judaica, face às dificuldades da pobreza e marginalização, estabeleceu regras e apelos para a protecção específica dos órfãos, estrangeiros e viúvas (Ex 22,20; Dt 14,28; 24,17). No Novo Testamento encontramos o afinamento desta atitude moral como acontece com Jesus que ressuscita e devolve o filho único a uma viúva de Naim (Lc 7, 11-15) e, momentos antes de expirar, confiou a Mãe (viúva) ao discípulo João que a acolheu em sua casa e cuidou dela (Jo 19,26). Na Igreja primitiva desenvolveu-se uma cuidadosa cultura de protecção das viúvas, criando especiais serviços sociais (Act 6,1).

Os textos sagrados insistem numa apreciação positiva das viúvas sofridas, no modo como se referem à situação da viúva Judite (Jud 8, 4; 16,22) e à Ana que exercia o carisma da profecia (Lc 2,26) e se dedicava ao serviço do culto e da caridade. S. Paulo até defende que a viuvez assumida, em paralelo com a virgindade, poderá ser um ideal espiritual de bons serviços (I Cor 7,8-34; II Tim 5,7 e 14).

Em Portugal, existe desde 1958 o Movimento Esperança e Vida (MEV) para Viúvas, actualmente com sede em Lisboa.

(Revista Síntese, Abr-Jun/2007)